Palestra com Fred Pacheco Maratona Jubilar História de Santa Zita 60 Anos da Paróquia

Palestra com Fred Pacheco

Participe conosco, no dia 25/10, desta fantástica palestra sobre Santidade ministrada por FRED PACHECO, fundador da Banda DOM! Será na Paróquia Santa Zita, às 20h e aberta ao público! E ao final da palestra Fred cantará conosco a música "Tudo é do Pai", de sua autoria e gravada pelo Pe. Fábio de Melo! Não percam esta grande oportunidade!


Maratona Jubilar

Quanto você conhece da nossa querida Paróquia Santa Zita? Participe da Maratona Jubilar e teste seus conhecimentos sobre a sua história!

Participe no Facebook...

Quem foi Santa Zita?

Conheça um pouco mais da história da nossa padroeira, que nasceu e viveu em humildade e servidão no interior da Itália, e aprenda a sua oração!

Mais...

60 Anos

Estamos na contagem regressiva para o Jubileu de Diamante de nossa querida Paróquia Santa Zita!





Meditação Dezembro - O Advento

07 de Dezembro de 2015, por Pe. Marcel


Há relatos de que o Advento começou a ser vivido entre os séculos IV e VII em vários lugares do mundo, como preparação para a festa do Natal. No final do século IV, na Gália (atual França) e na Espanha, este período tinha caráter ascético, com jejum e abstinência durante seis semanas. Este caráter ascético era também uma fase da preparação dos catecúmenos para o batismo. Somente no final do século VII, em Roma, é acrescentado o aspecto escatológico do Advento, recordando a segunda vinda do Senhor. No Concílio Vaticano II, após a reforma litúrgica, o Advento passou a ser celebrado nos seus dois aspectos: a vinda definitiva do Senhor e a preparação para o Natal, mantendo a tradição das 4 semanas.

Advento é uma palavra latina que significa aproximar-se, vir, chegando aos poucos. Durante as duas primeiras semanas do Advento nos preparamos para a 2ª vinda do Senhor e a partir do dia 17 de dezembro nos preparamos, com a novena, para celebrar o nascimento de Jesus em Belém. Neste tempo ouvimos as vozes sempre atuais dos profetas bíblicos, anunciando a vinda do Messias. Também ouvimos a voz de João Batista e do próprio Jesus anunciando a proximidade do Reino de Deus.

Este tempo litúrgico foi instituído para que os fiéis se preparassem para a celebração do Natal. Mas, em pouco tempo, adquiriu também um significado escatológico. De fato, recorda a dupla vinda do Senhor, isto é, a vinda entre os homens e a vinda ao final dos tempos. Com isso, o Advento apresenta-se como um tempo de alegre expectativa, momento de forte mergulho na liturgia e na mística cristã. É tempo de espera e esperança, de atenção e vigilância, durante o qual nos preparamos alegremente para a vinda do Senhor, como uma noiva que se enfeita para a chegada de seu noivo, seu amado.

A origem da coroa do Advento remete-nos aos povos da Alemanha, que durante a escuridão do inverno faziam a união de luzes ao redor das folhas verdes, na expectativa da primavera que renovaria a natureza. A origem deste costume é pagã. Os cristãos assimilaram estas tradições, marcando a espera do Natal (nascimento de Jesus, luz do mundo) com a confecção de uma coroa luminosa, nos mesmos moldes das antigas tradições germânicas.

Entre as famílias protestantes, a coroa é originalmente feita com galhos de pinheiro, enfeitada com fitas vermelhas. As velas eram roxas ou púrpuras, a cor da realeza. A quarta vela era rosa e expressava alegria. A vela do meio, incluída somente na noite do Natal, era branca e simbolizava o Cristo. Em casa, cada família colocará a Coroa do Advento num lugar apropriado, num lugar de encontro da família.

O tempo do Advento marca o início de um novo ano litúrgico. Tudo se renova para a fé cristã, e a alegria da aproximação do Cristo irrompe entre nós e invade nossos lares. É preciso fazer do Advento um tempo forte de oração e discernimento, tempo de balanço de vida e correção dos erros passados. Advento é tempo de clamar, com voz alta: Vem Senhor Jesus!